segunda-feira, 2 de maio de 2011

Blog Encerrado (?)

Ecoa m  m    m     m        marcas (...)

que 
voe 

(...) pensamento

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Re-tocando


Tudo parte de seu toque...
Planta, flor e folha, movimento dela.

A vontade da moça...
De vagar,
 Gira o sol na noite,
A lua e o girassol,
 Devagar,
À vontade da moça...

Veia, sangue e vento, movimentam ela.
Tudo. Parte de seu toque...

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

disap-pearl... pear... pea...






Your words has been poison,
a whisper at mouth,
decrying feelings...



Defying the suffering,




 
I look for soul,
singing always blue,
as the bees sing honey...







Then, your words fail. 

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Há prece no cio


Há um propósito quando desembaço, e um cuidado em desembaçar. Pois para realmente ser visto, torna-se alto o risco de se quebrar. Ah, meus sentimentos vítreos! Me expõem em primeira pessoa. A ti que desconheço, e que escolho conhecer. É por isso, que me faço sentir em toques de harpista. E por isso, não aceito o querer por simples troféu de meu egoísmo. É por isso a espera. Do sutil. E por isso o valor. Da escolha.

Aprecio,
a prece no cio, de quem ama.


quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Sacro Ofício (Sacrifício)


I

Se amas de giz,
ocultas à fala,
persistes e diz,
na rima, que cala...

no sufoco...

teu amor acrílico.
Quebrou-se feito,
vil. 

II

Amo,
em lamber o sal da pele,
e sentir o doce do âmago.
Além da rima, do cala(r)frio...

que não percebes...

meu amor fatídico.
Se guarda no seu,
cio.