sexta-feira, 21 de maio de 2010

le sac en bandoulière (entre nous)



Era um excesso meu. Um excesso, na falta. De não ir adiante, a partir de certo ponto. Mas era justamente por procurar um relacionamento que me fosse pleno, e igualmente o fosse para o outro, que me tornava difícil. A entrega de verdade.
Essa entrega que me faz sentido. Não empréstimo. Sentir-se numa prática de uso/desuso contínuo, já sabendo do prazo de vencimento daquilo. Não consigo. Dói-se. E magoei pessoas com esse excesso de retração nas horas de caminhar mais (falo também no campo da amizade).
Justamente por procurar plenitude nas relações. Irônico isso. Como alcançar plenitude, se eu mesmo nao estive sendo pleno? Não devo procurar isso. Devo seguir. Me entregar, conforme o sentir da entrega. Pois a plenitude não é uma parcela. É uma resultante. Consequência das sequências. Amadurece-se graças as experiências. Aprende-se a lidar, por conseguinte, com o seguinte.
Não há segredos para o "nós" aconteSer. Doa-se. E ele passa a ser. Sem nenhum dos dois deixar de ser. E os dois sendo um. Assim, feito mousse.

Mesclado.

2 comentários:

Ângela Calou disse...

Falar que o texto é belo pelo modo de como ele é colocado, em se tratando de ser de tua autoria, soa quase como que um juízo analítico... e como não gosto de ser redundante, faço silêncio sobre isso então, rs.

Quanto ao que fala o texto bonito com gosto de mousse mesclado, ah que é por aqui que o comentário transita. Gostei do tom confesso, mto bom ler textos em que a tinta desenha além da letra o rosto de quem escreveu...explicitamente (sim, pois que é a literatura que não autobiografia? como nos disse um certo senhor nova-iorquino...) Ah que ao lê-los eu ando a pensar sobre o que o tempo pede como meu lugar: as aves ou os mamíferos?

O que não sabem os desavisados é que às vezes as asas pesam feito correntes.

=]

Ane Lopes disse...

Fiquei com vontade de mousse. =c
hahaha

Dar sem pensar em receber. É tão clichê mas tão mais gostoso do que esperar pelo o que desenhamos para nós.
Se der vontade, que se faça.

Vou curtir as musiquenhas agora :B
Muah :*