domingo, 18 de janeiro de 2009

É isso.



Eu já te observo há algum tempo. Olhando, e em pensamento. Não apenas você. Eu me observo te observando também. Intensa, sem limites. Testa. Quer saber se pode. Se mostra forte, sem apego. Você não usa "talvez". Afirma ou nega. Mas o sorriso e o olhar (principalmente o olhar) são cheios de "talvez". "Talvez" é medo. Medo de sentir. De depender de sentir. Acho que as vezes você até pensa: "E se não for dependência, e for algo bonito, compartilhado?". Mas você só pensa...e guarda as possibilidades. Por isso grita, empurra, escarra, extravasa. Mas até se defendendo, se fazendo de fútil, você é linda.
Meio autobiográfico te observar...
Tenho vontade de te beijar. Mas e se não for vontade de te beijar? E se for algo como querer encostar nos teus lábios, e te acariciar, te respirando? Guardo as possibilidades...
Eu te observo. E sinto que estamos de ponta cabeça um pro outro. É só você virar...

4 comentários:

Luciana Dantas (Asas do Tempo) disse...

adorei o escrito, o sentido complemente de cada frase..
bjo grande. fica bem.

Gabriele Fidalgo disse...

Gostei muito, muito,
muito! Vi seu comentário e vim dar uma olhada. Ia ler com mais calma depois, mas, depois desse escrito, não tem como não dizer que adorei a precisão das suas palavras.

obrigada pelo comentário.
beijos!

Rafa... disse...

Vc virar...nós virarmos ^^'

*Lindo lindo...xerin Rafa!

Lua Estrela disse...

- Muito bonito, adorei.