quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Enquanto a cova ardia...



Antes que ela se sentisse tentada, eles tentaram. E pisaram em falso...
Mas bem que quiseram cavar a cova. E com fogo. Colocado de surpresa no meio da noite. Tocaia. De mansinho. Coisa de Homem? Não vou responder. Só indagar...Às vezes indagar por si só já é a melhor resposta. O óbvio não precisa ser dito.

Não sou pavio curto, nem tenho remorso. O pensamento é livre, de cada um. E sempre vai ser. Mas que o pensamento deles interfiram na minha vida, aí não. Aí a coisa aperta...e não dá pra admitir. Sinto muito estragar a "festinha" mas, sendo assim, o ponto final é necessário. Vai-se o joio, fica o trigo. Decepção? Sim...com algumas pessoas, não todas. Com algumas que não acredito ainda serem joio. E isso só o tempo vai dizer. Muito ou pouco...só o tempo...

E se foi um jogo, o jogo foi canalha. Lembrando agora de Walter Franco. Pela música canalha, e pelo Franco. Que fossem francos! Quem pensa algo no mínimo defende o que pensa, e não tem medo de falar. A fala de um não tem que ser amparada na de outros...ou não existe personalidade no pensar? Brincar de esconde-esconde também foi engraçado. E contei até 100, antes de ir embora.

E se foi uma peça os atores foram péssimos. Nem no telefone interpretaram direito. Mas mentíam, se esforçando ao máximo, pra não transpirar. Nem assim teve jeito. O cheiro exalou puro cebola. E eu, em querer acreditar. E depois a palavra mentira é usada contra mim (auto-sarcásticos vocês hein? Isso é destrutivo, e faz mal ao coração!!). E ia esquecendo...Cuidado!! Quem lê meu blog, quem me conhece, e quem ainda vai me conhecer...."Rafael está iludindo um monte de menina!"

Como diria o matuto, "dei minha cara a bofete". Fui atrás...Falei: "Tudo o que eu falei ou fiz eu assumo, mas também o que eu não falei ou não fiz eu não admito que interfira na minha vida e na de quem realmente é meu/minha amigo(a)!!.E então, o que porra é que tá rolando? Sem criancisse cara..fala!pode falar!!" E fui dizendo o que precisava dizer aos que eu encontrei. Perguntei. Calou. Perguntei de novo. Sem resposta. Perguntar mais uma vez era redundância demais...e já tinha dado vontade era de rir daquilo tudo.

Vítima, eu? Não! Apenas expondo fatos. E tem tembém a necessidade de canalizar o pensamento dos fatos em algo, pra ele ir embora, ainda mais sendo fatos nojentos assim. Que dê pelo menos um texto. E uma viagem legal! Mas não me faço de vítima...hum hum...Esclareço tudo, no que for perguntado...mas se ninguém pergunta fica difícil. Mas foi assim. Obscuridade e nebulosidade na cova que ardia...

Descobri coisas boas nisso também. Alguns são amigos mesmo. E uma, em especial, é amiga. Ela vai saber que falo dela, quando ler. Aqui é tudo sem nomes e sem bois. Ainda mais sendo um chiqueiro desses...não haveria de ter bois...

E foi mais ou menos isso...enquanto minha cova ardia....na covardia de vocês.

4 comentários:

Rafael Velasquez disse...

Belo trocadinho no título.
Você um desmacha bolinho? hahahahaha...

Júlia de Miranda disse...

Texto muito foda!
boas palavras!

CARLA ROCHA disse...

Parabéns Rafael por seus textos! Gostei!É disso que o mundo precisa: sinceridade! Abraço grande!

Tata disse...

Sim, eu já li algumas vezes esse seu último post e agora que estou comentando. Não sei, mas levei para o lado de algumas coisas que eu mesma estou vivendo.

Talvez nem faça sentido pra vc, mas eu me criei nas tuas entrelinhas. :)

Ps. sabe pq eu gosto quando vc comenta meus escritos? pq vc sempre entende o que eu quero dizer.

beijo, rafa!