domingo, 6 de julho de 2008

A quem se sentir atingido (Tinha 17...e escutava muito Raul)


Chega de religião, chega de lógica, chega de regras, e de estilo.
Chega de repetição, chega de limites, chega de rotina, chega de dizer chega.

Sua igreja não me interessa, sua lógica não me interessa, suas regras guarde pra você, seu estilo oculta você.Vive na repetição, nos limites de sua rotina, e nunca para pra dizer chega, chega de dizer chega. E com toda sua grandiosidade autoatribuida, não passa de mais um neo-ser, humano, em fase de experimentação e adequação ao sistema vigente no contexto mundial moderno (Blééhh). Mesmo assim se diz levar uma vida alternativa, apesar de sempre pegar o mesmo trem, a mesma estrada todos os dias...E nunca se dar conta disso.

Liberte-se, olhe ao seu redor e perceba a falsidade desse seu orgulho interior que a cada dia te arranca mais um pedaço e te consome lentamente. Entre neste vagão descarrilhado, sem rumo, onde o destino é sempre além do já alcançado. Ignore os dogmas que te foram impostos e crie suas próprias teses a partir de sua essência. Faça-se seu mundo, faça-se seu centro, faça-se sua meta e refaça você a partir de você próprio.


*Bom...esse escrito é antigo e li algo no blog da Aline que me fez revirar meus borrões e rascunhos atrás dele...achei, ri um tanto relendo...e taí um trechinho da minha adolescência. :-)

Um comentário:

Marcus Freire disse...

tambem lembra um pouco minha adolescência! Talvez por ter a mente muito aberta, talvez por viajar muito com meus pensamentos, com várias possibilidades por não acreditar ser preso a nada (o que mostra que não sou o que querem que eu seja e sim que tenho minha propria personalidade), e que rotina são para os que gostam de viver o lado coca cola da vida, ou seja, sempre a mesma coisa!!