sexta-feira, 18 de julho de 2008

"Crato - Juazeiro" em Festa! (Expocrato)




(NO CRATO)

Branco e preto como extremos
Cinza e tons de cinza,
Cinzento de cidade,
Cinzeiro de pessoas,
Trazidas, Tragadas,
Estampadas, Estragadas,

M U S I C A D A S,

Com instrumental de ônibus, topics,
E distorção moto-rizada,
em samplers de gritos de cobrador e choro de criança,
cantado por barítonos publicitários,
num volume oscilante perturbador...

(MEIO)
Olhando pro verde escuro, cochilei...

(JUAZEIRO)
Acordei. Desci...

Branco e preto como extremos,
Cinza e tons de cinza,
Cinzento de cidade,
Cinzeiro vazio,
E só cinzas...
Por hoje.

[Making Of]
Atravessei a rua. Nem precisava. Minha casa é do mesmo lado. É que tem uma planta nascendo numa falha do asfalto, embora na verdade o asfalto todo seja a falha...Ahhh não importa. A planta ainda está lá. E o "making of" acaba sendo o que importa.

5 comentários:

Admílson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcus Freire disse...

Até que Admilson pensa né! rsrssrrs...

Edna disse...

tua poesia esta na foto,teu relato é so um relato...

Tata disse...

Eita, só festas.

Gostei do que li. E que planta corajosa!

bossa_velha disse...

"...embora na verdade o asfalto todo seja a falha."

sim.