segunda-feira, 28 de julho de 2008

Com cobertura de Morango



Certa menina veio,
sem receio,
num olhar, num sorriso,
em um dia frio com sol,
numa cidade qualquer...

Certa menina pousa sobre mim.
Pousa,
e não pesa.
Me deixa até mais leve,
na leveza de estar com ela...

Meu "querer ficar só" não me bastou, e te contornar é tão...diferente. Diferente...é a palavra de tudo o que tem sido,
e do que está sendo...

Certa menina ou Menina certa, sem pressa, o tempo vai dizer. Com as palavras, com os olhares. Gestos, ações e reações. Me torna mesmo feliz é a parte nossa que já existe,
e essa porta entreaberta. Possibilidades, e escolhas...

Não precisamos de prosa,
nem de poesia,
não precisamos de rimas,
só de ar,
porque somos nosso próprio vento,
assim como no meio da noite...amanhecemos.

4 comentários:

Edna disse...

tantas poesias,tantos amores...tao voce ,que se encontra em tanta outras pessoas certas...sempre chega,sempre acerta,sempre o tempo...e os achismos amorosos se desfazem em um eu te amo...bjos

Tata disse...

Quanta suavidade e sentimento.
Interessante que rabisquei algo ontem com o título "eu e a menina".

Gostei desse.

bom dia!

Luciana Dantas (Asas do Tempo) disse...

belos versos, entregues, eu diria (e digo).
sinceros, simples.. gostei.
bjo

Fátima disse...

E eu o que digo???

hum...que com cobertura de kiwi também fica legal...

"cê" sabe né?