segunda-feira, 2 de junho de 2008

Mo(vi)mentos



Assim são minhas constâncias. Inconstantes. E embora pouco eu compreenda, eu me caibo nelas como elas cabem a mim. Acontece que, por muitas vezes, o copo enche, e elas querem transbordar. Transbordar é perigoso, pode machucar alguém. Especialmente, quando se trata de pessoas que a gente gosta, transbordar é perigoso. Então, encosto meus lábios na beira do copo, devagarinho, pra não ter perigo de derramar, e bebo meu próprio suco. Pelas repetidas vezes que me forem necessárias...

3 comentários:

Anônimo disse...

É uma forma difícil de alguém entender...mas, nesse escrito, expressou-se cuidado e carinho. Contudo, também exala um tanto de medo de si próprio...e isso, meu caro, tem que ser vencido...

um bjo. (de quem vc sabe quem...e que tem o mesmo problema...)

Amaranta disse...

O problema mais real de todos é que cabe-se pouco em si, ou nem se cabe. Transborda e inunda.

Cândido disse...

sim,
o comentário de sempre:

RAFAEL! TU TÁ MUITO IN FLAMES!!!
asudhuashduasd

eu num posso elr essas coisas não!
asduhasudh
=P

=***