quinta-feira, 24 de abril de 2008

Em tom de Ré (sem H também)



Um certo luar permanecia,
ancorado,
para sem aviso prévio,
desanuviar,

Na mágica e canto,
de um encontro,
marcado,
por despretensão.

E desprevenido,
ando a descobrir,
as belezas desse encanto,
em tom de Ré.

5 comentários:

lupe-- disse...

gracias! Los cuadros los pintas vos? son muy lindos..

Martha Barbosa disse...

Seu blog é muito bom. Adoro vir aqui.Esta poesia esta levando minha alma ao infinito, por alguns momentos.postei hoje, se tiveres tempo apareçe por lá.Um beijo
marthacorreaonline.blogspot.com

bossa_velha disse...

fiquei imaginando a descoberta em Ré. poesia bonita essa tua.

motivo da rosa disse...

"...E desprevenido,
ando a descobrir,
as belezas desse encanto,
em tom de Ré(...)."
hahahah

A melhor palavra p/ descrevê-lo eu não usaria...!

Bom esse tempo...MUITO BOM!
=*

lupe-- disse...

si, me hace bastante bien sacar cierto tipo de fotos... aunque hace bastante que no lo hago. Soy de Argentina, Bs. As., vos?