sábado, 29 de março de 2008

Lápis de cor (ou, o título não faz diferença)



Lápis de cores diversas,
tão diversas, quanto inúteis
quando é de música que eu preciso,
não de cores,
não hoje...

Penso no teu jeito de ser, inesperado
teu sorriso largo, e desandado
bela pessoa, que enquanto penso
embora eu fique,
eu deixe ir...

2 comentários:

Amaranta disse...

Nem cor-de-lápis e nem de música, precisa-se [com urgência] de outros sentidos!

Helena de Oliveira disse...

Sorriso é cor. Largo é sempre o tom. Talves da melodia.


Voltando ao meu verso (...)

Estou cansada de toques e sentidos. O olhar me induz. A olhar, simplesmente. E ningué me olha. Só me sentem...



Como sempre, tudo lindo por aqui.
Add você em meus favoritos linkados.