segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Ondas



Que suas ondas se mostrassem,
e as minhas, carregassem...

Mesmo com o desencanto,
eu tenho muito esmero
se hoje ainda canto,
se amanhã ainda espero

Queria ver o mar
e areia, e conchas e traços,
por onde pudesse andar
e somente ver o mar,
sua serpentina de sargaços,
em meio ao vento, dançar

Queria um tão suave momento
que fosse o quanto forte,
onde bastasse um movimento
e eu tivesse a sorte,

Que suas ondas se mostrassem,
e as minhas, carregassem...

Um comentário:

Elandia duarte disse...

Achei este lindo!!!
Delicado e tão suave quanto uma valsa ou um beijo de vento!!!