quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Nuvem Passageira às avessas


Não adianta escrever teu nome numa pedra
achando que ela vai um dia em pó se transformar
porque não é simples assim
Incomoda, a nuvem passageira
que com o vento se vai
mas que dessa vez não foi
O Cristal bonito,
que se quebra quando cai,
caiu, mas não quebrou
A Lua cheia convidou para um longo beijo,
e não foi o relógio que me cobrou o dia de amanhã,
mas o coração.
Estou sozinho,
um pouco perdido mas não louco, no meu leito
analisando a mim mesmo por sobre o divã
Por isso agora o que eu quero é dançar na chuva,
mas não sou um castelo de areia na beira do mar
pois castelo de areia e chuva não combinam
Não quero magoar ninguém,
nem quero me magoar de novo,
entre ir e voltar, a melhor opção
é ficar só...*


*Escrito enquanto escutava repetidamente a música de Hermes Aquino, de mesmo nome, e pensava no que não se escolhe pensar.

:-(




Um comentário:

Elandia duarte disse...

Eitá, eitá, eitá!!!!!!!!!!!!

Esse nosso coração teimoso que é dono de sí mesmo é só quer fazer o que quer!!!!!

Num adianta ir contra não!!!
Só se adaptar e tentar entender um pouco das loucuras dele!!

Meu amigo, mais querido!!

Xeru...