terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Quando o céu ganha mais estrelas...


Triste por você ter partido,
daqui...
Alegre por você ter vivido,
aqui...


Eu sei que isso não funciona,
mas...


"...faz um tempo eu quis,
fazer uma canção,
pra você viver mais..."


Coloriu...


Dos dias em que estive cinza,
restam-me agora,
apenas as cinzas
do que foi outrora...

E hoje, tanta cor
e tantos tons nas cores
que desconfio de amor
por ocultar-me as dores...

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Para a moça que não vê (que está olhando diferente do que diz que sente)



Olhos que dizem
o que você não diz
Olhos que agem
como você não age

Por que os olhos insistem,
em mentir?
Os olhos mentem?
Os teus olhos mentem?

Cuida dos teus olhos,
Olha os teus olhos,
São olhos tristes,
Pelos olhares desperdiçados...

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Ondas



Que suas ondas se mostrassem,
e as minhas, carregassem...

Mesmo com o desencanto,
eu tenho muito esmero
se hoje ainda canto,
se amanhã ainda espero

Queria ver o mar
e areia, e conchas e traços,
por onde pudesse andar
e somente ver o mar,
sua serpentina de sargaços,
em meio ao vento, dançar

Queria um tão suave momento
que fosse o quanto forte,
onde bastasse um movimento
e eu tivesse a sorte,

Que suas ondas se mostrassem,
e as minhas, carregassem...

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Réplica de um conselho

Ninguém pode me aconselhar
verdadeiramente,
quando a conviccção
que leva alguém a pensar que está certo
provém,
da necessidade de fugir de um mundo incerto...

Dia de chuva



Sóbrio e sombrio,
em seu véu embaçado,
o céu pôs-se a chorar,
por ser céu...

Não escuto aves cantando,
sem canto,
ouço apenas o vento tocando,
uma lúgubre melodia...

Se a noite estiver assim
verei uma beleza crepuscular
de uma pálida solidão
compondo a depressão celeste

Cativante em sua insólita angústia
desfigurado sob a frívola monotonia
introvertido
à compreensão de si

Nublado,deslumbrante
sublime, opaco
reflexivo na tristeza
lacrimante em perfeita harmonia.

Hoje sim, amanheceu
bem parecido comigo
e eu gostei,
disso.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Tédio


Ainda são 16:30...

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

e ainda são 16:30...


(...)

Ando agindo muito precipitado, e quando não,
estou agindo depois do tempo,
mas tudo que faço,
é pelo que sinto,
só não sei mais se esse sentir é certo,
quando o que vejo é tudo dar errado...


quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Estranhamente


Às vezes,
estranho a mente,
que quer mentir,
e mentindo, agir

E eu não consigo!

Ação e reação de mentira,
abraços de faz de conta,
retóricas,
e blá blá blá de falso educado

Eu não consigo!

Não consigo,
não estranhar a mente,
dizer, fazer, demonstrar,
qualquer coisa que não sinta

Ser do tipo "agir pelo figurino"
dobrar-se pelas etiquetas
ou, simplesmente para ser assim
como a maioria

(nunca fui mesmo pelas maiorias...)

Não consigo,
não estranhar a mente
e, estranhamente,
não entendo os que não estranham...

Talvez seja isso minha inconstância,
o ir e vir contra a mente,
para não mentir, para ser de verdade,
por mais absurda e momentânea que a verdade pareça...

Afinal, as verdades podem tudo
as verdades podem
ir,vir, ser e não ser mais
eternas...

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Feliz...



Não sinto pendências,
Não sinto as lacunas,
Não sinto você em aberto,
Nem reticências, nem etecéteras

Sinto muito, se tarde demais
Sinto muito, se forte demais
Só estou feliz porque falei,
E só falei porque precisava

O que poderia ter sido, mas não foi...
É bom pensar nisso agora
Sabendo que, da minha parte
Eu tentei

Do meu jeito,
No meu tempo,
De mim pra você,
Eu tentei

E voltei pra casa sorrindo,
Como se tivesse ganho um brinquedo novo,
Tal qual criança,
Tal qual ainda hoje faço...

E como qualquer criança
Deveria saber que,
Definitivamente,
Crianças e Cristais só poderíam resultar

Num arte...(rsos)

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

(Des)caminhos



Meus caminhos se pareciam,
que parecia um absurdo
vê-los tão diferentes

Hoje vejo meus caminhos,
como vejo irmãos gêmeos
vê-los iguais, era problema do olhar...




E entre tornos e retornos
torno a ser eu...

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Falando de Cristal


Alguns de meus escritos,
escritos por aqui,
e por outros lugares,
falam de cristal,
falam de você.


Do cristal,
entre os cristais,
que surge e ressurge,
assim,
inevitável.

Cristal,
Cristina,
desatina,
e depois,
foge...(?)

E eu continuo,
a falar de cristal,
mas só de vez em quando,
assim,
como você...

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Nuvem Passageira às avessas


Não adianta escrever teu nome numa pedra
achando que ela vai um dia em pó se transformar
porque não é simples assim
Incomoda, a nuvem passageira
que com o vento se vai
mas que dessa vez não foi
O Cristal bonito,
que se quebra quando cai,
caiu, mas não quebrou
A Lua cheia convidou para um longo beijo,
e não foi o relógio que me cobrou o dia de amanhã,
mas o coração.
Estou sozinho,
um pouco perdido mas não louco, no meu leito
analisando a mim mesmo por sobre o divã
Por isso agora o que eu quero é dançar na chuva,
mas não sou um castelo de areia na beira do mar
pois castelo de areia e chuva não combinam
Não quero magoar ninguém,
nem quero me magoar de novo,
entre ir e voltar, a melhor opção
é ficar só...*


*Escrito enquanto escutava repetidamente a música de Hermes Aquino, de mesmo nome, e pensava no que não se escolhe pensar.

:-(