quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Reticências e Etecéteras


É teu tórax que dilata e contrai,
e desafia as extremidades,
do ir e vir...

Pelo gelo que escorre, te provoca,
e percola teus caminhos,
comigo, que só o sigo...

Pelo gelo que te esquenta,
que em ti, torna em água,
em dedos, em lábios, em sons...

E derrete,
e acaba,
é início...

De uma reticência de beijos e toques,
dos corpos que se derretem,
numa etecétera de tantas outras coisas mais...

Nenhum comentário: