sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Minha Querida...



Jamais pedirei desculpas
por remorços que são teus
tampouco sentirei a culpa
em momentos que são meus
olhe pra mim, precisa de lupa?
pois olhe bem, esse sou eu!

A propósito, que tal enfrentar a vida?
enfrentar não é apenas falar
nem fingir se fazendo a vítima perdida
ou procurar a quem culpar

Do fundo do coração,
uma pessoa como você,
eu desmereço
e do fundo da razão,
a solução para você
é ser seu avesso

Vou parar de rimar e ser mais direto...
Não que eu seja lá grandes coisas,
logo eu,
que nem quero ser coisa alguma
mas pelo menos eu sempre procuro inventar
e inventar bons momentos
enquanto você, quando inventa
só inventa tormentos
e o pior...não assume a autoria
e quer me repassar os créditos
ou seríam os débitos?

Não guardo rancor, mágoa ou dor,
mas minha filha, desencane
porque dessa sua cara emburrada
só guardo risos

E quanto a suposta culpa, não aceito
mesmo que te disesse que aceito, não a sinto
então não digo.
E quanto a pedir desculpas, bem pior
não posso pedir desculpas por você comer de garfo e faca
e eu de colher...

Um comentário:

Amaranta disse...

Um brinde a farsa da vida!