sábado, 29 de dezembro de 2007

Então você quer me convencer que o amor é passageiro?
Tá bem,
Já que você não dá o braço a torcer,
Aceito que o amor seja passageiro
E continuo procurando por um,
Que dure pela passagem de toda minha vida...
:-)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Entre o Sol e Só...


Desordenados e,
Verdadeiros
Não só foram os versos,
Fomos eu e você

O meu timbre na tua voz,
Inconfundível,
Voz, que nos confundiu,
Em um...

Sentimentos escritos,
Descritos nas mãos,
E eu, sobrescrito
Em você...

Assim,
O que poderia ter sido
Foi...

Parece que a lua
Andou a brilhar só pra mim
E eu soube, como sei desse brilho,

Que não depende de ninguém
Que é só seu
E que pode brilhar mais...por você.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007


Sabe que,
quando te olho,
e te vejo linda,
Eu...
só te olho,
e te vejo linda.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Reticências e Etecéteras


É teu tórax que dilata e contrai,
e desafia as extremidades,
do ir e vir...

Pelo gelo que escorre, te provoca,
e percola teus caminhos,
comigo, que só o sigo...

Pelo gelo que te esquenta,
que em ti, torna em água,
em dedos, em lábios, em sons...

E derrete,
e acaba,
é início...

De uma reticência de beijos e toques,
dos corpos que se derretem,
numa etecétera de tantas outras coisas mais...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

"Quebrado a frieza" (nem quente, nem frio, como diria minha vó)


No calor que vem de fora
junto ao frio que vem de dentro
desfaçamos
pois desfazer também é um feito

No frio que vem de fora
junto ao calor que vem de dentro
desenlacemos
para dar um novo nó

Nós de braços
nós de pernas
nós de nós...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Fotos e Fatos



Os fatos nas fotos
são fotos de fatos
de fato, são fotos

Da abstração, o insensato,
da insensatez, o abstrato,
de mim...retratos.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Falando disso


Esses encantos e desencantos
desses encontros e desencontros
que teimam em enganar os sentidos
nessa brincadeira de ir e vir

Essas pedidas e despedidas
desses afetos e desafetos
que nos deixam meio perdidos
nem acabam, nem deixam partir

E, por isso tudo
você não consegue
sentir-se completa...

Mas linda flor,
percebe a falsidade do terceto?
ser completo requer amor
e ir além de qualquer soneto

Não são os desencontros desses desencantos
nem as despedidas desses desafetos
nem coisa alguma desses entretantos
a razão do sentir incompleto

Mas sim o amor que tem que estar presente
esse atemporal, que com o tempo é construido
e que as vezes necessita tão somente
de um espaço que lhe seja permitido

E eu te disse:
-Bom ouvir isso
E você disse:
-Bom falar isso

E foi bom te ver falar,
eu suscito...
que foi bom te ver falar,
mesmo por escrito...

Minha Querida...



Jamais pedirei desculpas
por remorços que são teus
tampouco sentirei a culpa
em momentos que são meus
olhe pra mim, precisa de lupa?
pois olhe bem, esse sou eu!

A propósito, que tal enfrentar a vida?
enfrentar não é apenas falar
nem fingir se fazendo a vítima perdida
ou procurar a quem culpar

Do fundo do coração,
uma pessoa como você,
eu desmereço
e do fundo da razão,
a solução para você
é ser seu avesso

Vou parar de rimar e ser mais direto...
Não que eu seja lá grandes coisas,
logo eu,
que nem quero ser coisa alguma
mas pelo menos eu sempre procuro inventar
e inventar bons momentos
enquanto você, quando inventa
só inventa tormentos
e o pior...não assume a autoria
e quer me repassar os créditos
ou seríam os débitos?

Não guardo rancor, mágoa ou dor,
mas minha filha, desencane
porque dessa sua cara emburrada
só guardo risos

E quanto a suposta culpa, não aceito
mesmo que te disesse que aceito, não a sinto
então não digo.
E quanto a pedir desculpas, bem pior
não posso pedir desculpas por você comer de garfo e faca
e eu de colher...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Concordando (sobre o amor)




É passado que se revira no presente de um futuro torto.
É presente que provém de um passado com um futuro incerto.
É futuro que se imagina no presente brevemente passado.

Passado, presente, futuro...como diria o poeta,
"O amor vai além de qualquer tempo verbal."
É mesmo um temporal atemporal nas têmporas do tempo...



* citação por Elandia Duarte.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

E eu respondi...

-Se pretendo mudar?
-Pretendo sim!
-Pretendo sempre estar mudando
(pausa)
pra continuar sempre igual...
E os momentos continuam passagens...
essencialmente transitórios
mas alguns ganharam alma...
tornaram-se marcantes
na tua presença,
nos teus gestos,
nas ações e reações
a permear minhas lembranças...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Quando a realidade se confunde com a ficção,
e o amor se mistura com a razão,
o que se inventa se dissolve no que está lá

Eu entrevejo o pensamento dissonar
sem me importar em saber sequer se devo
é quase sempre, assim, quando eu escrevo...

Silenciando...



Os objetos têm seus valores de uso e de troca.
São objetos.

Os objetos são transformados pela dinâmica louca e desenfreada dos espaços que criamos.
São objetos.

Os objetos transfiguram o objeto e se tornam imagens, movimentos, desejos e viveres.
São objetos?

Os objetos ganham carne e espírito.
São sujeitos.

Surge a nova materialidade mecanicista, dotada de objetos com valores orgânicos.
Surge a vida social das coisas e uma dimensão técnica existencial.

E nós?
Apagamo-nos...

e deixamos os objetos como protagonistas.

$ímbolos (pt.2): Sinais de ação
















$ímbolos(pt.1): Sinais de .ação



"para entender e ou complicar-se"
p'ra entender e ou complicar-se
para entender e ou complicar-se!
p@ra entender e ou complicar-se
para entender e ou complicar-si#
para entender e ou complicar-$e
para entender e 0% complicar-se
para entender & ou complicar-se
para entender e ou complicar-se*
( para entender e ou complicar-se)
para entender + e ou complicar-se +
para entender =  e ou complicar-se =
para entender, e ou complicar-se
para entender e ou complicar-se.
para entender e ou complicar-se:
para entender e ou complicar-se;
para entender e ou complicar-se?
para entender e/ou complicar-se
http://www.paraentendereoucomplicarse.com.br

*em todos os casos o se é pronome reflexivo, com exceção da quinta frase.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Passagens(?)



Por que nos cruzamos no caminho?
Qual o sentido daquele sentir?
Se anoitecemos querendo estar sozinhos
Mais tarde nos vemos a desmentir

É sempre bom te ver
E não ter que relutar
E poder imaginar
Te querer, te beijar, te fazer...

E pensar...
Será que conseguimos algo do tipo...

Estagnar nossos olhares um no outro
Como quem ver um pôr de sol
E vê-los adormecerem juntos
Como quem esquece o ao redor...

De volta a mim,
Percebo que o tempo passou e...
Você já tem que descer
Você tem mesmo que descer?

Por que não segue adiante
Daí eu não desceria também
E prolongamos o instante
Até onde ele bem quiser...

Mas, saindo da imaginação...
Só você desceu...

E entre as pessoas
Restava uma brecha
Uma brecha de janela
Onde me vi passar por ti...

E a noite chegava ao fim...

Por que nos cruzamos no caminho?
Qual o sentido daquele sentir?
Se anoitecia querendo estar sozinho
Acordei querendo descobrir...