sábado, 13 de outubro de 2007

Miragens


Num jardim de flores me pergunto
por que flores e não árvores?

Como as vezes que falei calado
como os sonhos que tive acordado
em visões de ti como miragens

Vencido, atrás de mim mesmo
palpita um coração perdido, lá dentro
do que sente, no que sente, e sente muito

Sinto muito.

Um comentário:

Elandia duarte disse...

Essa é uma das que mais gosto...
Adoro a construção das palavras, e a falsa simplicidade que ela aparenta...

Xeru!