segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Façam como as crianças!



Novo dia hoje. Pois pra que essa cara emburrada agindo como se tudo fosse um sempre

Assim...

Qual a vantagem de se complicar a vida? De levar a sério esse jogo criado, esses valores e idéias tão artificiais quanto o paradigma onde tudo começou? E olhem que já estão levando a sério demais. Tanto, que esse tabuleiro que se faz mundo já está desmoronando, derretendo, desmanchando. Desmoronado, derretido e desmanchado por quem não está sabendo jogar...e isso são quase todos.

Se querem continuar jogando, pelo menos mudem as regras!! Querem exemplo? Vou dar-lhes minha contribuição teórica, baseada numa metodologia que andei observando há um tanto de tempo. O título dessa tese de cinco linhas é: Façam como as crianças!


Façam como as crianças! Elas conseguem ser adultas,
e fazem isso descomplicadas
brincando de complicar
sorrindo
só rindo...

É tão simples não acha? Mas um adulto precisa de algo complexo pra viver, então, que pena! Eu prefiro arriscar viver assim, na minha teoria, que por sinal está sempre em reconstrução, inacabada, pronta pra iventar e reinventar mais e mais, conforme se precise para uma vida feliz. Afinal, se eu inventei isso, pelo menos eu tenho que praticar pra ver se arrasto alguns outros nessa ciranda.

Ahhh...antes que esqueça, não posso deixar de agradecer e creditar esse artigo a minha orientadora, prima, e pós doutora Thailis (tudo isso com 7 anos!! quem me dera...) e vários outros co-orientadores que trabalham com a mesma epistemologia. E deixo bem claro que não me mostraram teoria nenhuma (a teoria fui eu que inventei como uma necessidade para os adultos compreenderem). É prática pura!!

Eu estou tentando, e vou continuar assim (Se Deus quiser e é pra querer viu?!!) mas é difícil ir contra o dominante, ainda mais quando se é um indivíduo socialmente constituido. E vez por outra vêm as crises dessa patologia chamada Complexo de Adulto, que leva tantos a morte, não necessariamente física.

Chega de modelo, seja sem forma, moldável, flexível.
Chega de chorar, a não ser se for por um tombo, ou pelo merthiolate que arde!

Chega de religião, Deus por si só já é o bastante (Ele é Deus não é? Então!)

Chega de regras, seja feliz como uma criança!

E chega de dizer chega,...vivamos de fato!!

Um comentário:

Elandia duarte disse...

Eu sempre acreditei que as crianças, é que sabem das coisas da vida, do amor,do mundo!!!
Pra comprovar isso, só perguntar a qualquer um qual a melhor etapa da vida...Todos respondem que é lá na infância, independente de dinheiro ou tristeza...
É que lá a gente é feliz com os pequenos gestos de amor, e com os pequenos presentes que recebemos da vida...

Não obstante, concordo em gênero, número e grau com tua tese...RSsssss