segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Sem Título (para Fernandes Nogueira)


Dizem que o poeta está louco
mas na sua lucidez é que estão suas mágoas
enxergou a ralidade com os olhos
e o que viu foi o engano
enxergou a realidade com o coração
e o que viu foi o vazio



O poeta está cansado...de viver...
na fina hipocrisia das aparências
no mundo dos sentimentos que se dizem e não se sentem
no universo onde o sono se faz fuga temporária
onde a dor...
a dor é a essência por trás das máscaras



Não quis que muitos o lêssem
mas talvez, que poucos o sentissem
a alma, em prantos, transcrita no papel
chorando lágrimas de revolta
chorando lágrimas de tristeza
chorando lágrimas por elas mesmas



Grande poeta que se esvai
e se vai
e vai
aquém, além
com muitos ou ninguém
pra bem longe de tudo
pra bem perto...do nada
pois se tudo fêz-se angústia
o nada se fará o conforto desconhecido
dos sonhos bons que nunca acabam
de uma vida, uma bela vida
daquelas que imaginamos quando somos crianças...